8.4.20

a prática do dx na minha vida

Hoje vou falar de algo que me fala diretamente ao coração: a prática de ouvir emissoras de rádio de lugares muito distantes, e em especial, sobre um programa de rádio dedicado a esse mesmo tema.

O nome desse "hobby", por assim dizer, é "dexismo" (pronunciado "dechismo"), derivado das letras "DX", cujo significado está relacionado com "distância", na área da telegrafia.

Pode parecer estranho esse tipo de prática, mas estamos falando de uma era pré-internet, e esse hobby era uma das maneiras mais fáceis (e até baratas) de se manter contato com o resto do mundo.

Em geral, as pessoas ouviam geralmente as estações locais, por motivos óbvios: tratavam de assuntos que lhes diziam respeito, e podiam ser facilmente sintonizadas.

O que caracteriza o dexismo é o interesse em emissoras distantes, e o uso de aparelhos/antenas mais sofisticados, que possibilitam a recepção de sinais mais fracos.

Provavelmente meu início nessa prática foi numa viagem de férias à casa dos meus avós paternos. Meu vô tinha um rádio muito antigo, ainda à válvula (pesquisem sozinhos sobre isso), e aquilo me encantou. Eu era pequeno, e aquilo era uma das coisas mais sublimes, respeitosas e encantadoras que eu havia visto na minha vida.

Figura 1 - O início da história toda

Mais tarde apareceu lá em casa um rádio mais moderno, e lá se foi uma parte do meu tempo livre.

Figura 2 - Isso daqui já estão chamando de "vintage"

Era muito comum, mas muito comum mesmo, ao se vasculhar o dial, encontrar emissoras em outras línguas. Não tinha muito a se fazer: era tentar entender alguma coisa, esperar (sim, esperar) que se transmitisse algo em português, ou seguir adiante, garimpando outras emissoras.

Ocorre que muitas emissoras estrangeiras transmitiam em outras línguas que não as suas, e dentre elas estava a língua portuguesa. Então, fazia sentido o "esperar" acima. Os motivos... bem... guerra fria pode ser um deles?

Uma das famosas rádios que eu ainda cheguei a pegar foi a "A Voz da Alemanha". A "BBC" de Londres também transmitia, mas não lembro de ter ouvido muito ela.


Figura 3 - Logotipo da Deutsche Welle

Figura 4 - Logotipo da BBC

Uma das emissoras que mais marcou minha vida foi a Rádio Trans Mundial.

Figura 5 - Logotipo da rádio trans mundial

Ela é/era uma rádio de orientação religiosa, mas não era nisso que eu estava interessado.

Era o início da década de 90, morávamos no interior do Rio Grande do Sul. Eu tinha um computador, mas eu nem tinha ouvido falar da internet ainda. Enfim...

Todo dia, lá pelas 19 ou 20 horas, a Rádio Transmundial transmitia esse programa, que é o segundo assunto do qual eu quero falar, chamado "Módulo DX". Era um espaço de 5 minutos dedicado a divulgar e promover a prática do dexismo. Eram informações técnicas sobre aparelhos, antenas, propagação de ondas, características das emissoras, o famigerado "cartão QSL"... enfim, eu estava descobrindo que esse meu hábito não só tinha nome, como também toda uma cultura em volta.

Só por curiosidade, essa emissora de rádio tinha transmissores localizados em Santa Maria (RS), e na ilha holandesa de Bonaire, no Caribe, ao norte da Venezuela. Mais informações aqui.

Figura 6 - Antiga cobertura dos transmissores da Rádio Transmundial

Tudo isso foi uma preparação para o seguinte assunto: Esses dias eu encontrei na internet um material muito precioso: uma boa parte dos programas "Módulo DX" gravados, que foram transmitidos no ano de 1989.

O endereço é https://www.ondascurtas.com/audios/programas-dx/modulo-dx/

Figura 7 - Logotipo do DX Clube do Brasil

Foi uma grande alegria tê-los ouvido novamente, e por isso quero compartilhar essa informação com vocês aqui.

Minha sugestão de audição é que sejam ouvidos com bastante calma e deferência, pois são como testemunhos vivos de uma época que não deve voltar.

Além dos aspectos técnicos, como antenas e receptores, o programa também aborda questões sociológicas de suma importância para o entendimento do rádio como instrumento de política. Durante a segunda guerra mundial, o rádio teve importante papel cultural, entendido isso em sentido bem amplo.

Para quem quer se aprofundar nessa questão, os programas de número 31 e 32 (sobre Jamming) são um bom ponto de partida.

Bem, meus caros, deixo convosco minha calorosa saudação. Boa audição a todos.


2 comentários:

Ocho disse...

Interessante. Não sabia desse termo "dexismo". Acho que esse hobby era bastante interessante para quem quisesse se aprofundar de conhecimentos fora da sua comunidade local em quaisquer área de conhecimento, até no cotidiano do outro lado do mundo.

Apesar do dexismo agora ser bastante facilitado justamente pela internet rápida, é difícil ainda muitas das pessoas procurarem fatores mais distantes da rua região, pois querem saber somente assuntos que envolvem o "eu" e a minha comunidade.

Kodi disse...

Quando criança eu gostava de captar transmissões de outros países. Era mais fácil conseguir de madrugada. YT é o substituto e o desafio agora é entender as outras línguas.