20.4.08

The Concerts in China


Domingo passado criei coragem e comprei (a um preço meio irreal) o "The Concerts in China", do Jarre.

Geralmente não compro CDs de shows ao vivo, por achar que são sempre músicas repetidas, com alguma interpretação questionável e uma multidão ao fundo. Era o meu preconceito em relação a este CD. Ledo engano. Este CD apresenta as músicas "Arpegiator" e "Orient Express", verdadeiros emblemas do estilo Jarre, quase caricaturas do mesmo. "Fishing Junks at Sunset", de clara inspiração oriental, também quase recai na provocação do estilo. O que me matou, porém, foi a "The Overture", faixa inicial da obra.

É uma composição estupenda. A melodia é de uma força incrível. Os timbres são profundamente límpidos e delicados, e me remetem a um certo som conhecido... uma verdadeira festa para a audição. (Devem despertar a região do orgasmo no meu cérebro, porque não é possível, viu...)

A maior surpresa foi ter lido isto na wikipedia:
The Concerts in China's opening track "The Overture" is in fact the first movement of "Magnetic Fields Part 1" slowed down. If you play The Concerts in China LP at the speed of a single (45 rpm) and compare to "Magnetic Fields Part 1" at normal speed, you will notice that they are identical.
... o que obviamente acabou comigo. Me senti profundamente enganado.

É claro que a melodia continua legal, e isto só vem a reforçar o mérito... mas convenhamos que é uma gozação com o ouvinte.

(Na verdade, a relação de velocidade entre elas é de 2:1, e não os 1:0,7333... inferidos acima.)

Enfim, o álbum é composto de músicas anteriores e músicas novas, numa compilação bem legal. Os shows foram executados na China (Shangai e Pequim) em 1981, e o CD foi lançado em 1982.

Estes shows acabaram sendo os primeiros de um artista ocidental na China, após a tal Revolução Cultural deles (que de revolucionária só teve o nome, e de cultural só o pretexto). O que é uma pena, já que Jarre, nem de longe, representa o excerto da nossa música.

Valeu a compra.

3 comentários:

Moriah disse...

Esse era o meu disco favorito quando eu tinha uns 9, 10 anos. Eu ouvia em loop levando todos `a loucura.

:)

Eu tinha um K7, btw.

Patricia disse...

Primeiramente, parabens pelo post, viu? Digno do titulo do blog :)

Mas po Bruno, o cara fez uma releitura da propria musica e vc se sente enganado? Eu acho o maximo, mostra como ele pode se desapegar do que esta finalizado e recriar a propria obra. Deve ser coisa de perfeccionista: "ah essa musica nao ta tao boa, vamos ver como fica desse outro jeito..."
Alias, acho que vale a pena pegar os DVDs tambem pra ter uma experiencia mais completa, ja que ele faz efeitos maravilhosos de luz nos shows! Eu estou louca pra alugar todos os DVDs! :D

Moriah disse...

Eh isso mesmo Patricia, o que ele fez foi criativo e, nao, enganacao. Tem que ficar inventando o tempo todo mesmo, mudando, vendo no que dah. :)