6.5.08

Basta imaginar e ele está partindo, sereno, indo, e se a gente quiser... ele vai pousar...

O The Ultimate Nerd, obviamente, não poderia deixar de fazer suas reflexões sobre o padre voador, bem como suas considerações sobre uma possível viagem a bordo de um conjunto de balões de festa (conhecidos por aqui por "bexigas").

Primeiro: descontadas as variáveis meteorológicas, é óbvio que, se você está no litoral, você tem 50% de chances de ir para o oceano, e 50% de chances de ir para o continente.

Por mais que os meteorologistas digam que o ar ascendente do continente levaria o infeliz para a terra, o que aconteceu foi o contrário, talvez pelo tempo fechado e nublado.

Vou me privar de outras observações, já que o espírito do nosso querido clérigo deve estar sofrendo a terrível dor das chacotas de inúmeros irmãos de evolução.

E o que eu levaria, se eu fosse fazer essa tal viagem?

Primeiro: no mínimo, um walkie-talkie com um quilo de pilhas, uma célula solar e um booster de antena, para não perder contato com o pessoal de terra.

Segundo: um celular com mp3, pra ir ouvindo as músicas do Jarre durante a jornada. Não precisava nem do chip, pois, tendo as músicas, já estava bom.

Terceiro: um clips, um elástico e uma alicate, já que o bom e velho espírito de McGyver não sai da minha mente. (E a alicate é só para cortar o clips, se for necessário.)

Quarto: um GPS decente, um telefone por satélite decente, um altímetro, um barômetro, um anemômetro, uma biruta e um palm (com conexão à internet via satélite). É inútil levar o anemômetro e a biruta, já que eles dariam leitura "zero" o tempo todo.

Quinto: uma filmadora, com uns 600 gigas de memória, um quilo de baterias e uma célula solar (essa, só para a filmadora).

Sexto: um pára-quedas, e um bote salva-vidas, já cheio (como backup do pára-quedas), para cair em segurança tanto na terra quanto na água

Sétimo (mas devia estar em primeiro) : um sinalizador desses usados na marinha, e uma corneta amplificada da "Delta", para gritar "Ohayou!!!" quando passasse por São Paulo.

Oitavo: um rojão de festa junina (para comemorar no fim)

Nono: Um terço, e um santinho do Santo Expedito, caso nada disso desse certo...

Enfim, acho que o padre só levou esse último item.

E vocês? O que não poderia faltar no vosso balão?

5 comentários:

Moriah disse...

Só precisava de 2 coisas: Um chip de GPS, que nem aqueles que a gente usa em corrida. Não precisa operar nem nada, só botar na testa. Um super celular via satélite, óbvio, com estoque de baterias, óbvio. Mas sei lá, foi meio suicida a parada. O cara levou um gps e não sabia usar... A bateria do celular acabou... Caraca...

Patricia disse...

hahahahahaha.... :D
eu ja ri tanto dessa historia que achava impossivel rir mais ainda... ate ver seu post... :D Padre Hilario!

Moriah disse...

Po, galera, vcs nao acham que ele merece um Darwin Awards?

Kodi disse...

Ahaha, eu ficaria esperando com uma filmadora pra presenciar o ohayou!
Eu incluiria suprimentos, já que poderia cair em algum lugar isolado, principalmente água.
Levaria também analgésicos poderosos, anti-inflamatório, anti térmico, anti estamínicos e bloqueador solar.
Ah sim, uma lanterna pro escuro e pra poder sinalizar, além de uma faca com serra para o caso de precisar me soltar ou cortar algum membro fora, haha.
Po, é tanta coisa que eu levaria e não vou citar aqui, que o balão não ia levantar vôo.

theultimatenerd disse...

O Padre ganhou um "Double Darwin"... http://darwinawards.com/darwin/darwin2008-16.html